Rosemunu's Blog











{29/05/2010}   Virada Cultural

Foi muito legal a programação da Virada Cultural em Araraquara esse ano. É claro que vida de estudante é complicada e a gente acaba escolhendo apenas alguns eventos por questão de tempo, já que segunda tem aula e é semana de provas e entrega de trabahos, já viu né. Eu escolhi com minhas amigas assistir um filme no sábado (Tempos de paz) e ir ao show do Lenine. Gostei muito do filme, até hoje não tinha visto um filme contruído dessa maneira e que prendesse tanto a atenção do público; é incrível como tudo pode se passar em apenas uma salinha de depósito, recomendo. O show do Lenine foi legal, mas confesso que esperava mais animação; show de fato excelente é aquele que consegue chamar a atenção e cotagiar até quem não conhce o músico, senti um pouco de falta disso. No domingo fomos ao teatro ver a adaptação que Maria Adelaide Amaral fez do romance As Meninas de Lygia Fagundes Telles. O elenco conta com as atrizes convidadas Clarisse Abujamra (como Mãezinha) e Tuna Dwek (como Irmã Priscila), com Clarissa Rockenbach (Lorena), Luciana Brites (Ana Clara), Silvia Lourenço (Lia) e Julio Machado (Max, Guga e M.N.). Foi o que eu mais gostei na Virada, a adaptação ficou excelente, ela conseguiu passa os dramas, as angústias e os medos dessas meninas que são tão bem descritos no livro; a gente se comove com a história dessas meninas, sente angústia, chora… foi muito fiel à obra e eu achei que era impossível colocar em cena toda a complexidade dessa obra, mas Maria Adelaie conseguiu. Vou torcer para que ela faça uma adaptação pra TV ou pro Cinema, com certeza vai ficar bom. Porque não é qualquer um que consegue adaptar as obras da Lygia, sempre me reporto àquela mal sucedida adaptação de Ciranda de Pedra pra TV, que novela foi aquela… terrível, quem lê o romance não se conformar, porque a única coisa que permaneceu fiel foram os nomes das personagens, a onde já se viu o Conrado ser um conquistar e a Virgínia uma santa? E Letícia engravidar? O que foi aquilo. Depois da peça fomos ao show do Manu Chao, um cantor francês que mistura muitos ritmos e canta bastante em espanhol. Foi super animador o show, gostei bem mais que o do Lenine, acho que é melhor ouvir Lenine em casa e com a galera pra animar é bem melhor o ritmo quente do Manu Chao.

 

LenineManu Chao



Ontem eu assisti a peça TRAIR E COÇAR É SÓ COMEÇAR, não é à toa que a peça é um sucesso há 24 anos, de fato é muito boa, você começa a rir e não para mais, chega a ficar com dor na boca e na barriga. Anastácia Custódio está ótima como a atrapalhada empredaga Olímpia, que acaba colocando os patrões e o casal de amigos deles em uma tremenda confusão, até pro padre acaba sobrando. Eu recomendo pra quem quiser se divertir com os amigos, a família ou sozinho mesmo, vale a pena.



{09/05/2010}   Inesplicável Amor
Hoje é dia das mães e quando não se é mãe é difícl entender o amor que elas sentem por nós e compreender certas coisas que elas fazem. É tanto amor e vontade de acertar que às vezes elas acabam cometendo erros que nós não entendemos. Elas tem o dom de transformar uma semente em um ser vivo e ainda oferecer o primeiro alimento. São capazes de virarem leoas pra defenderem sua cria e dar a própria vida pelo filho. Dizem que em seu coração sempre cabe mais um. Posto aqui a música “Humano amor de Deus” do Pe. Fábio de Melo, porque acho que é assim o amor de mãe, e dedico especialmente pra minha mãe que sempre me ajuda, assim como diz na música…

Humano Amor de Deus

Pe. Fábio de Melo

Composição: Pe. Fábio de Melo / scj

Tens o dom de ver estradas
Onde eu vejo o fim
Me convences quando falas:
Não é bem assim!
Se me esqueço, me recordas
Se não sei, me ensinas.
E se perco a direção
Vens me encontrar

Tens o dom de ouvir segredos
Mesmo se me calo
E se falo me escutas
Queres compreender

Se pela força da distância
Tu te ausentas
Pelo poder que há na saudade
Voltarás!

Quando a solidão doeu em mim
Quando o meu passado não passou por mim
Quando eu não soube compreender a vida
Tu vieste compreender por mim

Quando os meus olhos não podiam ver
Tua mão segura me ajudou a andar
Quando eu não tinha mais amor no peito
Teu amor me ajudou a amar

Quando os meus sonhos vi desmoronar
Me trouxeste outros pra recomeçar
Quando me esqueci que era alguém na vida
Teu amor veio me relembrar

Que Deus me ama
Que não estou só
Que Deus cuida de mim
Quando fala pela tua voz
E me diz: coragem! (bis)

 



{09/05/2010}   A volta de Alice
Eu fui ao cinema quinata-feira com umas amigas assistir “Alice no país das maravilhas” (pena que não foi em 3D, porque na cidade não tem sala 3D, então nos contentamos com 1/2 D mesmo). Eu gostei muito do filme, da forma como fizeram a loirinha retornar a esse mundo de sonhos e… pesadelos. É claro que fica perceptível algumas falhas na composição, como o vestido que diminui de tamanho junto com ela em determinado momento e em outro não, e assim vai, mas dá pra dar risada, torcer pela vitória dos aliados da rainha Branca, ter ‘raiva’ da rainha vermelha, querer ficar com o chapeleiro (Jonny Deep, pra variar, está ótimo nesse filme, ele aranca suspiros mesmo caricaturado). É um filme bom, mas confesso que não ganharia o Oscar de melhor filme. É uma história boa pra se distrair, se divertir com os amigos, familiares, namorados e namoradas. Agora em 3D deve ser magnífico.

 



et cetera